Escritório de Curitiba é a 1ª edificação do Brasil a zerar as emissões de gases do efeito estufa


(Gazeta do Povo) – 11/11/20

A sede do escritório De Paola & Panasolo Sociedade de Advogados, em Curitiba, acaba de se tornar oficialmente o 1º edifício do Brasil a zerar a emissão de gases do efeito estufa no período de um ano, utilizando fontes de energia renováveis e meios de transporte alternativos. A garantia vem da certificação LEED Zero Carbon, concedida recentemente pelo U.S. Green Building Council ( USGBC).

Segundo dados atestados pela certificação, o escritório deixou de emitir por ano aproximadamente 6,9 toneladas de gases nocivos ao meio ambiente.

O escritório também pode se orgulhar de um outro importante marco. Com essa nova certificação, o prédio é um dos poucos no mundo e também o primeiro no Brasil com tripla certificação LEED. A saber, LEED Platinum, LEED Zero Energy e LEED Zero Carbon.

“Esse é o reconhecimento de que o escritório alcançou o mais elevado padrão de sustentabilidade. Não se trata apenas de neutralizar nossa pegada de carbono, de gerar toda a energia consumida em nossas instalações, de reciclar todos os resíduos, de utilizar produtos de limpeza biodegradáveis, mas também de propiciar a toda equipe, clientes e parceiros, um ambiente de trabalho e de convivência com total conforto, saúde e bem-estar”, comenta Leonardo Sperb de Paola, sócio do escritório.”

O escritório fica em uma casa de 581m² que foi construída na década de 1970 para abrigar uma família. Em 2015, ela foi reformada e ampliada para a instalação do escritório. O imóvel tem sete salas de trabalho, duas salas de reuniões, recepção, lobby, auditório, oito banheiros, duas cozinhas, uma sala técnica, uma copa e uma sala de arquivos. O espaço abriga 11 pessoas atualmente.

Economia de R$ 20 mil por ano
Segundo André Belloni, sócio da Petinelli, empresa de engenharia e consultoria em sustentabilidade, as soluções de eficiência e geração de energia renovável garantem ao De Paola & Panasolo uma economia de R$20 mil por ano em energia. Para se chegar a esse resultado, a primeira premissa foi reduzir o consumo de energia, com 100% da iluminação por lâmpadas de LED e todo o sistema de ar-condicionado com tecnologia Inverter.

O sócio da Petinelli explica que essas medidas garantem que a intensidade de consumo de energia da edificação seja bastante baixa, apenas 31 kWh/m² ao ano. “Isso é menos da metade do que é consumido em edifícios de escritórios similares. Investir em eficiência energética é importante porque reduz a necessidade de compra de painéis fotovoltaicos”, esclarece.

Para a geração da própria energia, foi implantado sistema fotovoltaico de 90 m², com 56 módulos, no telhado da edificação principal, com potência instalada de 14,8kWp e capacidade de geração de 17,8Mwh por ano. “O escritório investiu recursos próprios para a colocação do painel, o que será recuperado em menos de cinco anos de funcionamento do sistema”, ressalta Belloni.

O escritório tem ainda comando de iluminação externa por fotocélula (para desligamento durante o dia) e timer (para desligamento durante a noite); metais e louças sanitárias de baixa vazão para redução do consumo de água potável; separação de lixo reciclável e compostagem de resíduos orgânicos; e cisterna para captação da água da chuva, que é utilizada para limpeza das dependências, reduzindo significativamente o consumo da rede pública, o que, nesse período excepcional de seca, contribui para a economia de água.

Soluções de bem-estar
Outras intervenções foram feitas para promover a saúde e o bem-estar dos ocupantes, como a instalação de sistema de ventilação mecânica em ambientes e corredores onde não havia janelas ou que estavam muito distantes delas. “Isso contribuiu significativamente para melhorar a renovação e qualidade do ar, com filtragem fina de partículas”, diz Belloni.

Outro aspecto que resulta em mais conforto aos ocupantes é a integração do ambiente interno com o externo. A maioria dos cômodos têm janelas amplas com vista para o bosque de aproximadamente 400m², que conta com dezenas de árvores nativas e é visitado por animais silvestres. “Essa solução oferece mais conforto aos ocupantes e, segundo estudo internacional da California Energy Commision, favorece a concentração e aumenta a produtividade entre 10% e 25%, comparado ao desempenho de funcionários que trabalham em locais sem acesso visual às áreas externas”, frisa Belloni.

“Esperamos que esse projeto inspire outras iniciativas, já que prova que as construções verdes são possíveis e viáveis. A partir dele, estamos cumprindo nossa responsabilidade como cidadãos em construir uma sociedade melhor”, diz Alessandro Panasolo, sócio do escritório De Paola & Panasolo.

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.