Antigo Casarão em Salvador será restaurado para virar empreendimento imobiliário


 

(Arquitetura e Urbanismo. junho/09) Por Ana Paula Rocha

Um antigo casarão, que abrigava a extinta Boate Cloc nos anos 70, serviu de ponto de partida para a criação do empreendimento Cloc Marina Residence, em Salvador. Por ser um edifício tombado pelo Iphan (Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional), a arquiteta Kiki Meirelles, responsável pelo projeto, precisou aliar a modernidade dos novos lançamentos imobiliários com a preservação de elementos históricos da edificação.

“Internamente, o casarão, onde ficará a entrada principal do empreendimento, será todo modificado, abrigando um café, 11 lofts, duas coberturas, lounge e espaço gourmet”, explica a arquiteta. Já na parte exterior, o projeto prevê a preservação da escadaria e de um antigo jardim existentes no local, e também da fachada, que receberá madeira e vidro nas esquadrias como nos modelos originais e será pintada com tinta a base de silicato de potássio para não permitir que a água penetre na alvenaria. “Durante a elaboração do projeto, descobrimos azulejos do século XIX e um painel de Udo Knoff, ceramista muito importante na Bahia. Eles também serão restaurados e preservados”, conta Kiki.

O Cloc Marina Residence será abrigado em um terreno de 6,7 mil m² e possuirá também um restaurante e outros três edifícios (Vila dos Muxarabis, Jardins e Íris) com vista para a Baía de Todos os Santos. Ao todo serão disponibilizadas 133 unidades, entre coberturas, lofts e apartamentos.

“Além da fachada e do jardim, o Iphan ainda estabeleceu parâmetros que referem-se sempre à valorização da casa existente e a altura máxima dos edifícios de acordo com a sua implantação”, afirma a arquiteta. Segundo ela, a altura do edifício Muxarabis e do edifício Jardins, por exemplo, não poderiam passar de seis pavimentos.

A arquiteta também teve de desenvolver um projeto de modo a dispor os três novos blocos de forma a não atrapalhar a circulação de ar nos apartamentos. “Com a utilização de portas-camarão em treliça de madeira, fazendo alusão aos antigos muxarabis, elemento da arquitetura árabe tão utilizado na nossa arquitetura colonial; a forma em arco com cobertura verde do Edifício Íris; as passarelas metálicas que unem os três blocos do Edifício Jardins, o projeto combina novos materiais com elementos antigos”, destaca Meirelles.

a1

Perspectiva geral do empreendimento Cloc Marina Residence

a2

Entrada principal do empreendimento será feita pelo Casarão

a3

Pela parte de trás, Casarão se interligará aos outros edifícios e à piscina

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.