A “Internet das Coisas” na Mobilidade e Estacionamentos


(Fernando Braz) – 29/07/22

Em termos simples, a chamada “internet das coisas” ou IoT (Internet of Things) consiste em conectar “dispositivos” para coletar dados e se comunicar uns com os outros. Saibam que, num futuro próximo, todos os dispositivos serão inteligentes a ponto de facilitarem nossa vida.

É vital abordar esse problema agora, pois as populações urbanas continuarão a explodir. De acordo com o Departamento de Assuntos Econômicos e Sociais da ONU, a população global em rápido crescimento viverá em áreas urbanas. Espera-se que esse aumento chegue a 68% até 2050.

Pesquisas sugerem que a busca por vagas de estacionamento contribui para a perda de tempo e dinheiro produtivos. De acordo com o USA Today, mais de 30% do tempo geral de deslocamento é gasto procurando um espaço para estacionar. Nesse caso, temos o custo médio do combustível e o tempo perdido.

Cidades inteligentes e a Internet das coisas (IoT)

Outro termo comum relacionado à internet das coisas é cidades inteligentes . A internet das coisas permite que as cidades sejam “inteligentes” por ter diferentes sistemas de comunicação. Vejam alguns exemplos na Europa:

Holanda – Como melhor exemplo do uso de tecnologia para favorecer os ciclistas em condições adversas, posso citar o sensor de chuva, que amplia tempo do sinal verde para bikes na Holanda – São sensores capazes de detectar chuva e neve ligados à semáforos estão sendo testados em Groningen, na Holanda, ou seja, quem está em veículos fechados, protegido do frio e da água, tem que esperar. Vale ver este vídeo como exemplo de política publica pensando nas pessoas.

Suíça – A Paradox Engineering, especializada em dispositivos e dados em cidades inteligentes, aposta numa plataforma única para gerenciar vários serviços públicos. A solução envolve, inclusive, aplicativos inteligentes de estacionamento por meio do monitoramento remoto de instalações de estacionamento. A ideia é fornecer dados precisos sobre os veículos para aumentar as taxas médias de uso e a rotação de carros em parques ao nível da rua e de vários andares. Além disso, o recurso ajudaria a controlar áreas limitadas ou com tempo limitado.

Espanha – A cidade de Santander implementou um projeto com mais de 12 mil sensores urbanos que medem tudo. O sistema integrado atua mensurando desde a quantidade de lixo nas lixeiras até o número de vagas de estacionamento disponíveis. Muitos dos sensores que medem os níveis de poluição do ar e as condições do trânsito foram instalados em veículos públicos de alta circulação, como carros de polícia e táxis. Os dados desses sensores são armazenados em nuvem e são analisados em tempo real, permitindo ao governo da cidade uma melhor tomada de decisões. Santander também está abrindo seus dados para que novos empreendedores da cidade possam criar aplicativos, rentabilizando a economia local e gerando novos empregos.

E NO BRASIL

Temos um exemplo interessante de um “estacionamento inteligente” na cidade de Águas de São Pedro, onde mostra vagas desocupadas por aplicativo ou totens, usando sensores ópticos instalados nas ruas, oferecendo assim aos moradores e turistas a opção de checar em tempo real a disponibilidade de vagas.

O projeto faz parte de uma parceria fechada com uma multinacional de telefonia, como “laboratório” para novidades tecnológicas. Os equipamentos são movidos à energia solar e marcam 300 vagas na área central.

Como a IoT usará o estacionamento nas cidades inteligentes?

Ao implementar tecnologias de IoT, a detecção de veículos em tempo real e a localização de vagas de estacionamento disponíveis está tornando vários benefícios mais facilmente alcançáveis:

  • O tempo de busca é reduzido, melhorando a experiência do motorista e aumentando a mobilidade urbana, reduzindo assim as emissões de gases de efeito estufa e os congestionamentos.
  • A precificação dinâmica pode ser introduzida ajustando os preços de acordo com a demanda, ou seja, para os proprietários de empresas, os sistemas de estacionamento baseados em IoT os ajudam a obter o máximo valor de cada vaga de estacionamento disponível.
  • A fiscalização do estacionamento se torna mais eficiente e menos dependente dos policiais, ou seja, para a aplicação da lei, o estacionamento inteligente torna o monitoramento de violações mais eficaz.
  • Otimiza espaço e tempo em áreas urbanas congestionadas.

Um comentário sobre “A “Internet das Coisas” na Mobilidade e Estacionamentos

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.