Grupo de trabalho quer homologar construção em Light Wood Frame na Caixa


(Revista Techne) – 09/09/09

Profissionais trouxeram da Alemanha proposta de modelo construtivo com estrutura leve de madeira para a construção de casas industrializadas sustentáveis

Um grupo de fabricantes e projetistas especializados em madeira está trabalhando na especificação e normalização do Light Wood Frame (ou estrutura leve de madeira) para a construção de casas industrializadas. O objetivo é obter a homologação do sistema pela Caixa Econômica Federal, para que o produto possa ser utilizado também nos créditos de financiamento imobiliário do banco.

O grupo realizou em junho uma visita técnica à Alemanha, a convite do Governo do Estado de Baden-Würtenberg e de indústrias locais, para saber mais sobre o sistema. “O objetivo da viagem era conhecer essa tecnologia com o foco na construção sustentável, um ponto bem forte na Alemanha. Lá, a construção de casas sustentáveis está diretamente associada à utilização da madeira proveniente de reflorestamento ou de manejo sustentável”, afirma Guilherme Stamato, um dos integrantes do grupo e diretor da Stamade Projeto e Consultoria em Madeira.

Segundo ele, a comitiva foi composta por 19 empresários do setor madeireiro e da construção civil dos estados do Paraná, Santa Catarina, Rio Grande do Sul e São Paulo, bem como diretores do Senai de Curitiba, Rio de Janeiro e Caxias do Sul.

A diferença entre o Light Wood Frame desenvolvido pelos alemães e o fabricado nos Estados Unidos, que também é aplicado no Brasil, é a industrialização do sistema. De acordo com Stamato, na Alemanha as paredes recebem já na fábrica desde a sua estrutura interna até os acabamentos finais, incluindo aplicação das janelas, portas, tubulações hidráulicas e elétricas, entre outros. “Nesses painéis são instalados dispositivos de ligação e ancoragem que permitem, ao mesmo tempo, a correta fixação e agilidade de montagem, fazendo com que uma casa de mais de 200 m² seja montada em apenas um dia”, afirma o empresário.

Para trazer o sistema ao Brasil, o grupo vem se reunindo mensalmente em Curitiba. O primeiro encontro, realizado no dia 1º de setembro, reuniu cerca de 50 pessoas e serviu basicamente para a apresentação do método construtivo. “Formamos uma espécie de Associação e temos organizado várias ações para a aprovação do sistema junto à Caixa”, conta Stamato. As principais exigências do banco são a regulamentação do sistema de construção segundo o Sinat (Sistema Nacional de Avaliações Técnicas) e ensaios técnicos elaborados pelo IPT (Instituto de Pesquisas Tecnológicas).

A próxima reunião do grupo está prevista para o dia 7 de outubro, também na capital paranaense. “A nossa expectativa é apresentar todos os documentos necessários para a homologação até março de 2010, praticamente daqui a seis meses”, finaliza Stamato.

Anúncios

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s